Pílula do dia seguinte

A pílula do dia seguinte, ao contrário do que muita gente pensa, não é mais um método anticoncepcional: é contracepção de emergência. Como o nome diz, é para ser usada em situações extremas: quando a camisinha rompe ou em casos de estupro.É o único método que pode ser usado depois da relação sexual desprotegida.

Trata-se de um medicamento composto por dose alta de progesterona, capaz de provocar ressecamento do muco endocervical e impedir a subida dos espermtozóides à cavidade intrauterina.

O corpo sente o baque: a pílula do dia seguinte costuma provocar dor de cabeça,náusea, vômitos e alterar o ciclo menstrual. Muitas meninas estão usando a contracepção de emergência como um método rotineiro, o que é grave por dois motivos: de um lado, elas não se protegem contra a gravidez, e principalmente contra as doenças sexualmente transmissíveis, e de outro o uso da pílula que deve ser eventual , torna-se rotina com ingestão de altas doses hormonais.

Apesar de ter sido de grande ajuda às mulheres, é preciso saber usar para não termos complicações no futuro com a ingesta excessiva de hormônios.